A pandemia mudou a realidade do mercado imobiliário brasileiro em 2020. Imobiliárias e construtoras viram os processos de compra/venda e aluguel de imóveis se modificarem drasticamente com a transformação digital.

Diante dessas grandes mudanças, agora analisamos as principais tendências do mercado imobiliário para 2021. Como fica o setor diante de uma economia instável e a incerteza de quando todos estarão vacinados e prontos para uma vida relativamente normal novamente?

O crescimento cancelado de 2020 pode vir em 2021

Os analistas do setor apontavam para um crescimento de 20% em 2020 em comparação com 2019. A pandemia mudou essas previsões e botou um freio de mão forçado no crescimento. No entanto, ele não foi anulado, apenas adiado.

Para 2021, a previsão é tão animadora quanto era a de 2019 para 2020. E a previsão vai além da demanda por imóveis: o atendimento e os processos imobiliários devem continuar passando por transformações, novos meios de pagamento vão passar a ser aceitos, entre outros pontos.

Vamos ver o que vai fazer a diferença em 2021?

Principais tendências do mercado imobiliário para 2021

1- Digitalização total dos processos

Para muitos, 2020 já teve essa digitalização. Plataformas de aluguel de imóveis começaram a surgir aos montes, outras plataformas exclusivas para compra e venda facilitada. O fato é que a digitalização vai além da negociação imobiliária.

A partir de 2021, a maioria das imobiliárias vai realizar praticamente todos os processos de cobrança, envio e recebimento de documentos, pagamentos, entre outros pontos de forma digital. Aquela coisa de passar horas indo a cartórios e resolvendo processos burocráticos tende a acabar.

Até mesmo a assinatura de documentos poderá ser digital. Muita gente já utiliza essa tecnologia e isso tende a se tornar a norma padrão em 2021, muito impulsionada também por conta da pandemia e das medidas de isolamento social.

2- Pagamento por criptomoedas

Em 2021 veremos diversas construtoras e imobiliárias começando o processo de adaptação financeira para aceitar pagamentos via criptomoedas, principalmente usando o Bitcoin, a moeda digital mais popular atualmente.

Falamos desse novo formato de pagamento recentemente aqui no blog e essa é uma forte tendência que tem tudo para começar a ser implementada. E os inúmeros casos de empresas do setor imobiliário aceitando criptomoedas como pagamento não se restringem a outros países: o Brasil já possui diversas empresas trabalhando com criptomoedas para a negociação de imóveis.

3- Taxa Selic se mantendo baixa

Em 2020 já vimos uma queda histórica da taxa Selic. Chegamos aos 2% de juros e isso já estimulou um pouco a compra de imóveis, mesmo durante a pandemia. Para 2021, os analistas acreditam que os níveis baixos de juros serão mantidos. Em outras palavras, prepare o bolso para investir em imóveis em 2021, já que os juros continuarão baixos e um financiamento imobiliário será algo atrativo como investimento.

4- Espaço para home office

O home office deve crescer cerca de 30% no pós-pandemia, segundo a FGV, já que com a pandemia, diversas empresas perceberam as vantagens de um modelo híbrido de trabalho presencial e remoto.

Nesse sentido, o mercado imobiliário precisa se preparar para um 2021 com uma busca muito maior por imóveis com mais espaço para atender a essa nova necessidade. Imóveis com 3 cômodos não serão mais um luxo para muitas famílias.

Fique sempre por dentro das principais tendências do mercado imobiliário aqui no Blog do House Viewer 360º. E para testar sem compromisso as melhores soluções em 360º para sua imobiliária, é só clicar aqui. Até mais!

× Fale Conosco (16) 99640-1566