Cohousing é uma forma de moradia inovadora com o propósito de viver em um senso de comunidade mais aguçado, compartilhando experiências e espaços comuns. Esse tipo de moradia existe na Dinamarca desde os anos 60 e foi uma prática de viver adotada em localidades dos Estados Unidos e na Europa.

 

Como são as moradias

Em um sentido arquitetônico, as casas são construídas em fileiras, uma de frente para outra e entre essas construções existem jardins e plantações comuns a todos os moradores. Nesses espaços, as áreas de lazer também são compartilhadas entre todos sem privilégios ou preferências por moradores.

Os espaços familiares são individuais, ou seja, as famílias possuem privacidade para as suas interações. No entanto, momentos como o horário de almoço ou jantar, são realizados em uma cozinha coletiva que é acessível a todos os moradores.

Os moradores realizam atividades como plantio, colheita, produções diversas, limpeza e possuem suas ferramentas organizadas e guardadas em uma oficina coletiva. A vivência nesse ambiente é mais sustentável, com a preservação da natureza, meios alternativos de locomoção e respeito para com o pedestre nas áreas livres.

Embora cada morador possua a sua residência, todas as decisões tomadas nesse espaço são realizadas a partir de um consenso geral, ou seja, todos os moradores tem voz para as transformações nesse ambiente.

 

Cohousing no Brasil

Cohousing é um modelo de moradia que vem se estabelecendo no Brasil a partir de grupos interessados em formar comunidades com espaços compartilhados e com uma proposta de atividades coletivas.

Existem programas com incentivo a esse sistema que tem uma proposta de vivência com maior qualidade em um processo mais sustentável. A Cohousing é uma tendência no Brasil, com uma visão que permite trabalhar no coletivo:

– A prática da boa vizinhança;

– Cultivo da alimentação coletiva;

– Produção de equipamentos e ferramentas;

– Manutenção das áreas coletivas;

– Preservação do meio ambiente.

Esse modelo de moradia é uma realidade possível, também, para os idosos com ações que estão sendo estudadas para adaptar esse perfil de pessoas nesses ambientes coletivos. Os programas de incentivo para esse tipo de vida são cada vez mais incidentes em várias regiões brasileiras, com um processo que exige comprometimento e capacidade de convívio. Além de intensificar no mercado imobiliário, uma forma a atender clientes focados em um sistema de maior sustentabilidade e com grande potencial econômico.

Nessa filosofia de vida não existe um sistema hierárquico e as decisões tomadas não acontece por meio de votação. As propostas para o convívio são expostas e em caso de oposição pede-se que ideias alternativas sejam propostas para que se solucione a discordância.

Os espaços coletivos são amplos para atender a todos os moradores e são constituídos por: áreas de lazer, refeitório coletivo onde acontecem as refeições conjuntas, espaços com TV e lavanderias coletivas, dentre outros espaços.

Para o mercado imobiliário, é importante ficar de olho sempre nestas novas tendências para conseguir apresentar as melhores soluções. Conte sempre com o House Viewer 360º para ficar bem informado. Até a próxima!

× Fale Conosco (16) 99640-1566